O que é o programa Revisão da Medicação?

O Serviço de “Revisão de Medicação” é oferecido nas farmácias e drogarias principalmente a pacientes polimedicados, ou seja, aqueles que utilizam mais do que 5 medicamentos.

O serviço consiste em uma consulta com o farmacêutico, na qual o paciente traz todos os seus medicamentos, incluindo aqueles prescritos, utilizados por automedicação, fitoterápicos, suplementos, entre outros. O objetivo do farmacêutico é melhorar a adesão do paciente a farmacoterapia, considerada um dos maiores problemas associados às condições crônicas. O paciente, por meio de uma conversa franca, é estimulado a participar como sujeito de seu tratamento, compreender melhor sua condição e medicamentos, e se responsabilizar pelo seguimento futuro. O farmacêutico também avalia possíveis interações medicamentosas e reações adversas aos medicamentos, além de auxiliar o paciente a reduzir os custos com seu tratamento, quando possível.

Os pacientes são atendidos pelo farmacêutico em um ambiente confortável e privado da farmácia e são orientados de forma personalizada sobre cada um de seus medicamentos. Eles recebem ao final uma lista completa e atualizada de seus medicamentos, que pode ser compartilhado com o médico e outros profissionais de saúde.

Nos casos em que farmacêutico e paciente julgarem necessário, podem ser marcadas consultas de retorno e acompanhamento, a fim de avaliar os resultados de possíveis mudanças produzidas no tratamento.

Revisão da Medicação - Serviço Farmacêutico da ABRAFARMA

Quais são as vantagens para o paciente?

Os medicamentos representam a forma mais comum de intervenção terapêutica, quatro a cada cinco pessoas com mais de 75 anos utilizam pelo menos um medicamento e 36% estão em uso contínuo de quatro ou mais medicamentos (SHAW; SEAL; PILING, 2002). No entanto, sabe-se que até 50% dos medicamentos não são administrados como deveriam, devido a problemas de adesão do paciente, e que muitos medicamentos de uso comum podem levar a eventos adversos. As reações adversas, por exemplo, estão relacionadas a 5-17% das internações hospitalares (CUSHING; METCALFE, 2007). A revisão de medicação é reconhecida como um dos pilares da gestão de medicamentos, evitando problemas de saúde relacionados à farmacoterapia e gastos desnecessários. O envolvimento do paciente nas decisões relativas ao seu tratamento é uma parte fundamental para melhorar desfechos clínicos, econômicos e humanísticos (NHS CUMBRIA MEDICINES MANAGEMENT TEAM, 2013). Como exemplo, uma revisão sistemática recente, publicada no British Journal of Clinical Pharmacology, indicou que a revisão farmacêutica da medicação está associada a melhora na adesão, no controle de condições clínicas, como hipertensão e dislipidemia e nas taxas de hospitalizações (HATAH et al., 2014).

Fontes Bibliográficas