O que é o programa Hipertensão em Dia?

O programa “Hipertensão em Dia” é o serviço farmacêutico para as pessoas que se encontram sob risco de desenvolver hipertensão arterial e aquelas já diagnosticadas, que utilizam medicamentos para controle da doença.

O objetivo é colaborar com a equipe de saúde e com o paciente para detecção rápida, orientação e encaminhamento de pessoas com pressão arterial elevada, para diagnóstico médico e tratamento apropriado. Além disso, o programa visa auxiliar pacientes em tratamento com medicamentos anti-hipertensivos, para que atinjam um melhor controle da pressão arterial, bem como de outros fatores de risco cardiovascular concomitantes.

Em um ambiente confortável e privado da farmácia, os pacientes são atendidos pelo farmacêutico, que realiza uma avaliação global do controle pressórico e dos fatores de risco cardiovascular do paciente. Os pacientes são então orientados de forma personalizada e recebem um relatório detalhado dos resultados desta avaliação, que pode ser compartilhado com o médico.

Após esta avaliação, pacientes sob tratamento anti-hipertensivo podem aderir a um programa de acompanhamento, durante o qual são feitas avaliações periódicas e orientação continuada sobre adesão ao tratamento, uso correto dos medicamentos e mudanças no estilo de vida. Estes encontros podem ser desde mensais, bimestrais, ou até semestrais, dependendo da necessidade de cada paciente. Os atendimentos de retorno também podem coincidir com a aquisição mensal de medicamentos na farmácia.

Hipertensão em Dia - Serviço Farmacêutico da ABRAFARMA

Quais são as vantagens para o paciente?

Diversos estudos mostram que a participação do farmacêutico na educação dos pacientes e na gestão da farmacoterapia melhora o controle da pressão arterial e a adesão dos pacientes ao tratamento. Uma revisão sistemática com meta-análise publicada em 2010 pela Colaboração Cochrane demonstrou um aumento na proporção de pacientes controlados sob cuidados do farmacêutico e uma redução média na pressão sistólica na ordem de 6 mmHg (IC95% -8.8 a -3.83 mmHg) e na pressão diastólica de 3 mmHg (IC95% -4.57 a -1.67) (NKANSAH et al., 2010). Para que se tenha uma ideia do benefício cardiovascular que isso representa, estudo publicado no Lancet, envolvendo mais de 1 milhão de adultos mostrou que para cada redução de 2 mmHg na pressão sistólica, há uma redução de 7% no risco de Doença Arterial Coronariana (DAC) e de 10% no risco de morte por acidente cerebrovascular (derrame) (LEWINGTON et al., 2002).

Fontes Bibliográficas