O que é o programa Diabetes em Dia?

O programa “Diabetes em dia” é o serviço oferecido nas farmácias e drogarias, a pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de diabetes.

Esse serviço visa colaborar para detecção rápida, orientação e encaminhamento de pessoas com alterações dos níveis glicêmicos, para diagnóstico médico e tratamento apropriado. Além disso, o programa é destinado a promover a educação dos pacientes sobre sua condição clínica e tratamento, dando suporte ao autocuidado e monitorando resultados terapêuticos.

Em um ambiente confortável e privado da farmácia, os pacientes com diabetes são atendidos pelo farmacêutico, que realiza uma avaliação da glicemia, da utilização de medicamentos, adesão ao tratamento e episódios de hipoglicemia, além de conhecer a história da doença, complicações e comorbidades. Os pacientes são então orientados de forma personalizada sobre seu tratamento e metas terapêuticas, e recebem um relatório detalhado dos resultados da avaliação feita na farmácia, que pode ser compartilhado com o médico e outros profissionais de saúde.

Após esta avaliação, pacientes sob tratamento, farmacológico ou não-farmacológico, podem aderir a um programa de acompanhamento, durante o qual são feitas avaliações periódicas e orientação continuada sobre adesão ao tratamento, uso correto dos medicamentos e mudanças no estilo de vida. Estes encontros podem ser desde mensais até semestrais, dependendo da necessidade de cada paciente. Os atendimentos de retorno também podem coincidir com a aquisição mensal de medicamentos na farmácia.

Diabetes em Dia - Serviço Farmacêutico da ABRAFARMA

Quais são as vantagens para o paciente?

A prevalência do diabetes em todo mundo dobrou nos últimos 40 anos, e vem aumentando a cada ano em todos os países (LEE; COLAGIURI, 2013). Estimativas indicam que o diabetes afeta aproximadamente 382 milhões de pessoas em todo o mundo. Destas, 175 milhões não têm conhecimento da existência de sua doença, e mais de 80% dos pacientes vivem em países de baixa e média renda. No Brasil, estudos indicaram uma prevalência de DM na população adulta variando de 7% a 17%, aumentando conforme a faixa etária (BOSI et al., 2009; MORAES et al., 2010). As complicações crônicas mais importantes do diabetes mellitus incluem a nefropatia, a retinopatia, a neuropatia e o pé diabético. Estas complicações possuem relação direta com os níveis glicêmicos. Assim, a melhoria do controle da glicemia tem o poder de reduzir de forma determinante o risco destas complicações. Dentre as demais complicações, observa-se uma aumento na incidência de doença aterosclerótica em pacientes com diabetes. O infarto agudo do miocárdio representa a causa de morte mais comum entre os pacientes. Neste caso, o controle glicêmico deve estar associado ao controle de outros fatores de risco, principalmente a hipertensão, a dislipidemia e o tabagismo. Dezenas de ensaios clínicos demonstram benefícios dos serviços farmacêuticos sobre os resultados de saúde em pacientes diabéticos. Estudos de revisão sistemática e meta-análises mostraram que a intervenção farmacêutica produz reduções adicionais na A1c entre 0,5% e 1,0% em comparação ao cuidado usual recebido pelos pacientes. Em termos comparativos, esta redução na A1c equivale à mesma eficácia de vários medicamentos antidiabéticos que estão no mercado, entre eles os inibidores da DPP-IV. Outros benefícios para os pacientes diabéticos incluem a melhoria no controle pressórico, no IMC, no colesterol total e no HDL-C (AGUIAR et al., 2014).

Fontes Bibliográficas