icon-arrow

Cadastro finalizado com sucesso.

Sua farmácia já está cadastrada e aguarda aprovação da administração da ABRAFARMA para ser publicada.

Cadastro finalizado com sucesso.

Seu cadastro está finalizado com aprovação da administração da ABRAFARMA.

Cadastro EAD finalizado com sucesso.

Seu cadastro nos cursos livres está finalizado com aprovação da administração da Abrafarma.

Cadastro associado finalizado com sucesso.

Seu cadastro de associado está finalizado e aguarda aprovação da coordenação farmacêutica da sua empresa.

Equipe interdisciplinar na cessação tabágica

Scritta postou dia 14/11/2017 (atualizado 14 de novembro de 2017)


Uma revisão sistemática apontou potenciais benefícios do envolvimento de uma equipe interdisciplinar na educação de pacientes com diabetes e cessação tabágica, mas reitera que, para uma avaliação mais robusta, é necessário aprofundar as investigações1. O diabetes é uma doença crônica que afeta mais de 25 milhões de adultos e estimativas indicam que aproximadamente 30% dessas pessoas também são tabagistas.

O impacto negativo da associação entre as duas doenças é importante e inclui risco aumentado de complicações relacionadas ao diabetes, tais como perda de visão, úlceras de membros inferiores e amputações, doença periodontal, perda de dentes e doenças cardiovasculares. Também está relacionada à maior taxa de potenciais reações adversas, interações medicamentosas e/ou ineficácia da farmacoterapia. Esse panorama requer medidas urgentes para o seu manejo, a fim de minimizar riscos e prover um cuidado de qualidade aos pacientes. A gestão interdisciplinar abrangente pode ser uma estratégia interessante para estimular a cessação tabágica e redução de riscos em pacientes com diabetes.

O Programa Nacional de Educação sobre Diabetes identificou profissionais de saúde específicos, conhecidos como PPOD (pharmacy, podiatry, optometry, and dentistry), que incluem farmacêuticos, podólogos, optometristas e dentistas, como indivíduos-chave para melhorar os resultados clínicos relacionados com o diabetes. Estes profissionais são encorajados a trabalhar em conjunto por meio da colaboração interdisciplinar e implementar estratégias baseadas em evidências, conforme descritas nas recomendações da PPOD.

Essas recomendações encorajam os profissionais de saúde a perguntar, aconselhar e ajudar os pacientes em seus esforços para redução de riscos associados ao diabetes e estímulo à adoção de comportamentos saudáveis. Seis estudos foram incluídos após processo de seleção. Três deles documentaram um aumento na taxa de cessação, variando de 15 a 200% dentro do grupo intervenção. No entanto, desses três, apenas dois estudos resultaram em reduções estatisticamente significativas.

Os resultados indicam que, apesar do potencial desse tipo de procedimento para melhora de desfechos clínicos em diferentes áreas, há pouca pesquisa examinando intervenções na cessação do tabagismo por profissionais de saúde do PPOD, apesar do número significativo de adultos fumantes com diabetes.

A eficácia demonstrada não é consistente na literatura e existe grande variabilidade de acordo com a formação do profissional e frequência da intervenção. A maioria das pesquisas com intervenções de cessação do tabagismo foi conduzida na população em geral, ou seja, não foram específicas para o diabetes.

Referências

  1. Register, S. J., Harrington, K. F., Agne, A. A. & Cherrington, A. L. Effectiveness of Non-Primary Care-Based Smoking Cessation Interventions for Adults with Diabetes: A Systematic Literature Review. Curr. Diab. Rep. 16, 81 (2016). Acesso em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27424070

Texto reproduzido de farmaceuticoclinico.com.br

*Wálleri Reis é farmacêutica, mestre em ciências farmacêuticas pela Universidade Federal do Paraná e especialista pela Residência Multiprofissional em Atenção Hospitalar (HC-UFPR). É coautora dos manuais de serviços farmacêuticos da Abrafarma